Em paralelo aos avanços que a medicina apresenta ao longo dos anos para o tratamento das mais complexas doenças existentes no planeta, ela também busca auxiliar muitos dos sintomas presentes nestas doenças, fazendo com que, se não curados, os problemas possam ao menos apresentar cada vez menos interferências na qualidade de vida dos indivíduos. Neste contexto encontra-se a dor crônica, um dos mais debilitantes sintomas que acometem a população, em todas as idades.

Quando as terapias convencionais, baseadas em medicamentos e outras áreas adjuvantes, não apresentam mais eficácia para o alívio da dor, ainda é possível recorrer a tratamentos intervencionistas. Dentre as opções existentes, uma ainda pouco divulgada ao público leigo é a estimulação